Saiba escolher o filhote

Na hora de comprar, saiba escolher o filhote ideal para você

Saiba escolher o filhoteÉ tentadora a hora em que vamos conhecer uma ninhada cheia de cãezinhos fofos. Da vontade de levar todos pra casa. Mas essa é a hora crucial para que escolhamos aquele filhote que mais se adequa ao nosso estilo de vida e é o primeiro passo para evitarmos futuros problemas.
?Olha que fofo, ele adora rosnar de brincadeira!?; ?mãe, vamos levar aquele ali fofinho escondido embaixo da cadeira?? Não caia nessas armadilhas.
Um cão dominante, líder, vai exigir muito mais treino e mais experiência por parte dos donos, pois este cão vai querer mandar na casa, não vai obedecer regras com facilidade e pode se tornar um cão demasiadamente agressivo.
Por outro lado, um cão medroso demais também pode se tornar agressivo, pois a agressividade vem do medo e da coação. O ideal é um cão intermediário. De olhar vivo, sem medo, mas que não seja desafiador. Um cão cauteloso na medida certa, sem ser medroso ou corajoso demais.
Escolhendo o cão certo pra levar pra casa é garantir um primeiro passo triunfante para se ter um melhor amigo ideal e feliz.
Siga os passos a seguir quando for escolher um filhote em uma ninhada. Não esqueça, claro, de pedir pra ver a mãe e o pai dos filhotes. Caso a mãe ou o pai estejam presos, desconfie. Ou você quer ter um filhote de fera?
Os pontos em negrito são os fatores que você deve levar em conta quando for escolher. Boa sorte!

1x1 transPasso 1

Comece colocando o bichinho no chão, em um lugar desconhecido. Afaste-se um pouco, agache e chame o pequeno com palmas, falando em um tom de voz suave a alegre. Observe então como o filhotinho vem até você.

– Se ele vier prontamente, com o rabo levantado, pular e até tentar morder nossa mão, temos um cachorro bastante dominante.
– Se ele vier com o rabo levantado e apenas subir no colo, é um cachorro menos dominante.
– Se vier com o rabo baixo, é mais submisso.
– Se não vier, provavelmente será um cão medroso ou com pouco interesse nos seres humanos.

1x1 transPasso 2

Levante-se e comece a andar.

– O filhotinho dominante irá nos seguir prontamente, com o rabo levantado e mordendo nosso calcanhar.
– Se não for tão dominante, só irá seguir-nos com o rabinho levantado.
– Se for mais submisso ficará com o rabinho baixo.
– Se o cachorro não seguir, será um cachorro mais independente.

1x1 transPasso 3

Em seguida, pegue o filhotinho com todo cuidado do mundo (lembre-se ele é só um bebê e a última coisa que queremos é que ele fique assustado), coloque-o deitado no chão de barriga para cima e ponha então sua mão aberta sobre o peito dele. Observe sua reação.

– Filhotes mais dominantes vão espernear mais, alguns vão até rosnar e tentar morder sua mão.
– Os muito tímidos vão ficar imóveis, com o rabinho entre as pernas e até fazer esforços para olhar nos seus olhos.

– Um filhotinho intermediário vai espernear e até ganir um pouco, parar, espernear mais um pouco, e assim até se acalmar.

Não se esqueça, é muito importante fazer isso com o máximo de gentileza possível.

1x1 transPasso 4

Pegue o filhotinho com as duas mãos, coloque-o bem próximo do seu rosto, encare-o e observe sua atitude.
– Filhotes extremamente dominantes vão rosnar e até tentar morder nosso rosto.
– Filhotes independentes, vão tentar ir embora.
– Filhotes muito submissos e tímidos, vão evitar contato com os olhos.
– Filhotes que tentarem lamber nosso nariz, são menos dominantes e que não ficam sentidos com tanta facilidade.

1x1 transPasso 5

Por último, deixe cair um molho de chaves no meio da ninhada.
– O dominante vai imediatamente ver o que é.
– O intermediário vai hesitar, depois vai ver o que é.
– O medroso vai fugir.
Agora alguns cuidados na hora de escolher um cão, para não acabar levando ?gato por lebre?? (extraído do blog Pequeno Grande Cão)
– Primeiramente entre em contato com o Kennel Clube da sua cidade ou da capital do seu estado e peça uma lista de criadores idôneos da raça.
– Visite os canis, observe como os cães são tratados, a higiene do local onde vivem, e converse com o criador a respeito do filhote e dos pais, temperamento, pedigree etc.
– Outra dica importantíssima é com relação ao preço! Fique atento para o fato de que se trata de um cão caro (quem tem qualidade NÃO irá vender o filhote barato ?) e o preço baixo pode vir acompanhado de desvios de temperamento e problemas sérios de saúde.
– Não compre cães em feiras, Pet Shops, anúncios em jornal e internet ? prefira visitar e conhecer o canil onde o seu ?futuro filhote? nasceu ou nascerá !
– Cuidado com filhotes muito pequenos e magrinhos ? quanto menor o cão, mais delicado e frágil, sujeito a acidentes e menos resistentes às doenças. Cuidado!!! Não existem os termos bibelô, micro, mini e zero.
– Quanto mais o filhote se alimentar do leite materno, melhor para sua saúde e desenvolvimento. Você só deve levar o cão para casa depois dos 2 meses de vida! Vejo muitos criadores entregando filhotes com 45 dias de vida ?. isso é um absurdo!
– Um criador responsável irá fazer uma série de perguntas a respeito do seu estilo de vida, o que você espera de um cão, se tem criança pequena em casa, outros animais ? Alguns criadores chegam mesmo a se recusar a vender um filhote caso achem que este não estará seguro e em ?boas mãos?!
– E para finalizar : toda compra de cães deve ser feita com contrato! Este é essencial para garantir os direitos e deveres do vendedor e do comprador. Nunca abra mão do contrato.
Fonte : http://tudosobrecachorros.com.br

Comments

comments